Envenenados e domesticados

Você já questionou se tudo que seus olhos veem são verdade? Será que o que você vê existe? Mesmo?

Há tantos e tantos desdobramentos e linhas do tempo acontecendo ao mesmo tempo que pensar que apenas essa realidade linear é a “verdade” é extremamente limitante. E também um dos maiores reflexos de uma sociedade que está sendo completamente dominada pelos que sabem que não é verdade. O 1%.

Você já parou para pensar na experiência que você está tendo como humano?

O que faz você levar ela tão a sério se daqui menos de 100 anos você não será mais a “Guilhermina da Silva” e que em provavelmente 400 a 600 anos seu nome será esquecido na eternidade?

Será que tudo isso que você acredita ser real é mesmo real?

Quando você dorme, de olhos fechados, o que você sonha é real? E o que faz você pensar que aqui não é um sonho?

Porque os seres humanos criaram o “1º de janeiro de 2021”? Ou porque mais uma vez, humanos, criaram “1 ano, 2 anos, 3 anos”? Ou porque será que você enxerga “as mesmas coisas” todos os dias?

O que faz você acreditar que tudo isso é “real” e não criação da sua própria mente?

Todas as experiências extra sensoriais que tive, foi quando meus olhos estavam conectados com uma grande sutileza ou então completamente fechados. Pois, quando aberto, o que eu enxergo do outro é uma mera perspectiva de mim mesmx. É como se eu falasse para você aqui nesse texto que o céu, para mim, é verde. Como você me provaria o contrário? Posso sugerir que talvez você diga “mas Eli, todos enxergam o céu azul, você está errada”. É aí que você se engana. Você foi condicionadx e domesticadx a enxergar a coisa como coisa, a cor como cor e assim por diante.

Antes mesmo de você chegar nesse Planeta, aqui haviam regras. E essas regras, supostamente “devem ser seguidas”. Nascemos e, já logo nos primeiros dias de vida, já somos domesticados pelos médicos, pelos nossos pais, pelo sistema de saúde, da beleza, da comida. E já, desde ali, vão nos colocando venenos e mais venenos até chegar um momento em nossa vida que já estamos tão envenenados e domesticados que já não precisamos que ninguém o faça, pois já fazemos com maestria, continuando envenenando a nós mesmxs e a domesticando nós e aos nossos.

Já sabemos que uma mesa é uma mesa e as letras do alfabeto. Já temos até nome para todas as árvores e acordes e cores e idiomas e tudo!!!! Você já parou para pensar nisso??? Como essa biblioteca pode ser tão extensa? Será que ela é verdadeira? Quantos % do seu dia é auto(por si mesmo) conhecimento e quantos % do seu dia é conhecimento do outro? De fora?

Em que lugar você se vê envenenadx? Sua comida? Produtos que coloca no seu corpo, rosto e cabelo? Pela água que você se banha e toma? Pelos agrotóxicos? Flúor? Cloro? Ambiente de trabalho? Roupas de plástico? Acesso fácil e banalização de mercadoria? Por onde você tem se envenenado e nem se quer percebe?

Vamos colocar essa discussão na mesa! Coloque abaixo a sua visão.

Com amor,

w

19 Comentários

  1. Isabela

    Tem sido um eterno renascimento para mim me desdobrar em tantas formas e perceber que a realidade é isso de sutil que eu só percebo quando alinhada e conectada com o agora e o ser pulsante que sou em tantas dimensões. Essa dimensão aqui que escrevo há muitas eras está nessa batalha. A batalha onde o mau nunca vai vencer. E percebendo todos os dias que o medo não pode ter espaço pois não é isso que a experiência extra-sensorial traz. E é ela quem nos tira da caixinha 3D manipuladora. O amor cura e o amor salva. A alimentação viva nos imuniza e nos cura. A natureza é e sempre será o melhor presente divino. Explorar as dimensões dos vegetais e seres divinos é possível e é de graça. Se tudo ficar escuro, lembre-se que a luz está a ali esperando o seu despertar. É possível. É real! Que a luz divina esteja conosco todos os dias. Aho!
    Blessed we are.

    Responder
    • Elisa Rose Waters

      Ahooo! É isso irmã! Ser natureza de dentro para fora ? E a natureza é só amor, abundância e potência.

      Responder
    • Ananda Danã

      Incrível eu me vejo nesse texto parece eu falado ❤️

      Responder
      • Elisa Rose Waters
        • Dara Fernanda Barth

          Os dias não são mais os mesmos, uma sensação de tudo aquilo que eu vivi nesses 25 anos não existe mais. É uma nova realidade.
          Estou num processo muito profundo onde acesso muitas coisas durante os dias, os dias são intensos.
          Tudo está mais colorido, mais vivo. Sutil.
          E ao mesmo tempo me questiono se não estou criando tudo isso pra viver
          em mais uma ilusão.
          Eu questiono tudo, toda troca com pessoas é algo muito profundo.
          Irmã, como não me sentir tão confusa diante todas as possibilidades que estão integradas no meu Ser?
          Gratidão por tudo, você é essencial aqui e agora Eli.

          Responder
          • Elisa Rose Waters

            O que você sente que “os dias não são mais os mesmos”, irmã? Fiquei curiosa. Se sentir de compartilhar.

  2. Sara Pelucio Souza

    Conseguir ‘enxergar’ e transcender além do condicionamento 3D é algo muito intenso. Traz extrema paz, mas pra mim também uma certa solidão pois sinto pouca compreensão do próximo.. como vc lida com essa sensação Eli? Um abraço deusa, obrigada por tanto ✨?

    Responder
    • Elisa Rose Waters

      Esteja aterrada na sua verdade. A nossa verdade é banhada de puro amor. Amor é compaixão e empatia.
      Está tudo bem o outro enxergar da forma dele. É a realidade que ele escolheu para ele. Exatamente como ela acontece. Mesmo que às vezes ela seja destrutiva para o próprio indivíduo.
      Mantenha sua vibração alta!

      Responder
      • Daniela Veiga da Costa

        Acho poderosíssimo a abordagem mas eu trago aqui um outro lado, já me senti envenenada por uma “positividade tóxica” vinda de pessoas que eu considero mais corretas e evoluídas, nas redes sociais, de me ver questionando o tempo todo estar “vivendo errado” e não é quando posso uma maquiagem e nem quando uso uma roupa de plástico. E sim quando me vejo seguindo os canais de pessoas mais good vibes que eu me faço a auto julgadora dos meus mais simples e meros atos. Eu acho que somos diversos e não temos que usar ninguém como referência de certo e errado porque nada é certo e errado. Não adianta eu me desconectar do tradicional, dasregras sociais, da domesticação e me jogar na nova era ou seja lá a outra crença, com a mesma devoçãoe segueira. Eu vou simplesmente mudar de lado, mas continuarei vivendo domesticado. Eu vejo que nossa sociedade é carente de acreditar em si mesmo, sempre na necessidade de uma pessoa para endeusar e seguir seus preceitos de vida. O que adianta se libertar de uma verdade inexistente social que te limita, pra viver a verdade de outra pessoa?
        Temos que acreditar em nós mesmo que você não se libertou de pintar cabelo ou usar maquiagem do mercado, você não deixe de acreditar que es um ser iluminado e potente. Não deixem te dizer que você é menos por que você se vacina, ou porque não pode amamentar seu filho, nem mesmo porque você trabalha e teve que o deixar em uma creche sem poder exercitar a amamentação em livre demanda, se sua alimentação não te orgulha, mude! mas mude por você, não porque todo os seus meios de “incentivo” te julgam um mostro.
        Eu aprendi nessa minha jornada do autoconhecimento se realmente conciênte que não tenho as mesmas ferramentas e possibilidades que as pessoas que admiro, que estão em jornadas parecidas com a minha porém que eu sou potente e importante assim como elas.

        Responder
        • Elisa Rose Waters

          Também!!! Está rolando um “Arquétipo zen” que as pessoas se obrigam a ser good vibes sempre. Mas isso sinto que é mais uma grande imposição.
          Abrir espaço para as nossas sombras é muito empoderador!
          O que você sente em relação a isso?
          Falamos muito disso no workshop de tantra online nesse sábado!!!

          Responder
      • Doina

        Me traz uma sensação de paz ler este tipo de textos, porque faz muito sentido na minha cabeça e tenho sempre uma sensação de que estás coisas que falas Eli, é o que corresponde realmente à verdade. Mas é tão difícil tentar sair deste sistema tóxico em que nascemos e somos criados, não é fácil quebrar os hábitos e tentar optar por coisas completamente opostas ao esta sociedade nos obriga a acreditar e consumir. E muitas pessoas se recusam a questionar tudo isso. Sinto falta de orientação às vezes, querer mudar mas ao mesmo tempo duvidar de tudo. Por isso é importante existirem pessoas como você Eli. Grata por toda a informação que você partilha. Você é incrível. Doina

        Responder
        • Elisa Rose Waters

          Aho Doina!
          É como se sentir em casa <3 Estamos juntas, irmã!

          Responder
  3. ANA PAULA DA SILVA OLIVEIRA

    Passei 8 dias na Chapada dos Veadeiros, e lá estava o tempo todo me questionando isso, eu me emocionava com cada detalhe, o vilarejo de São Jorge com os pequenos cristais brilhantes pelas ruas, o céu, o vento, a chuva, a variedade de cores andando pelas trilhas, a força das águas, das pedras, das montanhas, tudo me deixava extremamente conectada, grata, admirada, e eu me questionava se todos viam e sentiam está força. Se caso não, eu sou muito grata por ter visto e sentido tudo exatamente como eu vi e senti, eu voltei já faz uma semana (emprego, sociedade) e de lá pra cá, todos os dias eu tenho sonhado com aquele lugar, é como se eu ainda tivesse lá, e quem disse que eu não estou? Eu cocriei que fosse tudo perfeito e foi, interessante é que eu estava há um ano colocando em prática alguns ensinamentos, questionamentos e práticas do 365diascomeli, e eu estava em uma loja comprando o Oráculo da Natureza, quando eu entrei no carro, eu senti de olhar o celular (fiz isso raras vezes enquanto estava lá) foi quando vi que você tinha apagado os vídeos, eu chorei de gratidão e encerrei o ciclo também, sentindo que cada palavra que você disse foi interpretada com amor. E me questiono e me admiro, como algumas coisas acontecerem de forma mágica. Gratidão, Ana.

    Responder
    • Elisa Rose Waters

      Ahh que experiência incrível. Que benção que você teve a oportunidade de entrar em contato com o portal da Chapada.
      Mantenha sua vibração alta e as mudanças começarão a acontecer.
      Gratidão pelo carinho.
      Aho!

      Responder
  4. Ana Beatriz de Oliveira Vasconcelos

    A pouco tempo comocei a sentir de forma profunda o que é essa intoxicação. Alimentação ruim, remédios que nós estimulam a ter dores e doenças, aprisionamento nas formas de estudo como faculdade, fazem de tudo pra nos sentirmos incapazes. No fim do ano comecei a sentir que chegou a hora da mudança, de fazer Detox, de mudar alimentação e voltar a me nutrir do que a nossa mãe Terra nos proporciona. Gratidão por todos os seus ensinamentos. Meu sonho é ir no MWG e sei que já está materializado no astral. Aho irmã

    Responder
    • Elisa Rose Waters

      É esse o caminho de volta, querida irmã!
      Aho

      Responder
  5. Patricia

    Fico sempre me perguntando isso… pq as coisas tem o nome que deram, quem deu, pq deu… pq é esse nome?mas falo isso e as pessoas já acham que eu tô viajando e estou indo pra um caminho que quer levar a vida mansa… sinto que tô no meu despertar e ao mesmo tempo me sinto presa nas obrigações desse mundo. Ando cada dia mais confusa !!

    Responder
    • Elisa Rose Waters

      E por que é errado querer uma vida mansa? Tudo que você sente é válido e você é a protagonista da sua história, irmã.
      Confie no que você intui.
      Com amor,
      eli

      Responder
    • Tais

      Como pode com um mundo inteiro a nossa disposição, somos livres mas a maioria de nós opta por se aprisionar em trabalhos onde a gente vende nosso tempo de vida em troca de um salário no final do mês.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Elisa Rose Waters

Pin It on Pinterest

Share This